quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Cada um de Nós

video
video
"Cada um de nós é colocado no lugar apropriado para melhor servir.

Muitas vezes, dadas as dificuldades de que nos vemos cercados, deixamos de operar no bem, justamente alegando empecilhos e percalços.

Entretanto, a criatura que verdadeiramente mantém o ideal de realizar o bem ao seu semelhante, o faz, independente de qualquer circunstância."


Redação do Momento Espírita, com base em vídeo de treinamento intitulado Desistir, jamais! da Siamar.

11 comentários:

  1. "Viva em paz"
    "Os solavancos da vida, as malquerenças, os males e as intranquilidades são, sempre, amainados dentro de você, desde que os saiba "digerir", ou seja, compreender e aceitar.

    Ainda que surjam acontecimentos dolorosos e se levantem contra você palavras agressivas, gestos ameaçadores e perspectivas sombrias, veja-se vencendo, superando, construindo soluções e pondo-se em caminho seguro, livre de oscilações negativas.

    Construa a paz.

    A sua construção interna depende mais de você do que das coisas que lhe acontecem."



    Lourival Lopes
    primeira | < anterior | próxima > | última

    ResponderExcluir
  2. O Criador concede às criaturas, no espaço e no tempo,
    as experiências que desejem, para que se ajustem,
    por fim às leis de bondade e equilíbrio que O manifestam.

    Eis por que permanecer na sombra ou na luz,
    na dor ou na alegria, no mal ou no bem,
    é ação espiritual que depende de nós.

    (Espírito Emmanuel - Médium Chico Xavier)

    ResponderExcluir
  3. "Problemas do Amor"

    “... que vosso amor cresça cada vez mais no pleno conhecimento e em todo o discernimento.”
    — Paulo (Filipenses, cap. 1, v. 9.)

    "O amor é a força divina do Universo.
    É imprescindível, porém, muita vigilância para que não a desviemos na justa aplicação.
    Quando um homem se devota, de maneira absoluta, aos seus cofres perecíveis, essa energia, no coração dele, denomina-se avareza”; quando se atormenta, de modo exclusivo, pela defesa do que possui, julgando-se o centro da vida, no lugar em que se encontra, essa mesma força converte-se nele em “egoísmo”; quando só vê motivos para louvar o que representa, o que sente e o que faz, com manifesto
    desrespeito pelos valores alheios, o sentimento que predomina em sua órbita chama-se “inveja”.
    Paulo, escrevendo à amorosa comunidade filipense, formula indicação de elevado alcance.
    Assegura que o amor deve crescer, cada vez mais, no conhecimento e no discernimento, a fim de que o aprendiz possa aprovar as coisas que são excelentes”.
    Instruamo-nos, pois, para conhecer.
    Eduquemo-nos para discernir.
    Cultura intelectual e aprimoramento moral são imperativos da vida, possibilitando-nos a manifestação do amor, no império da sublimação que nos aproxima de Deus.
    Atendamos ao conselho apostólico e cresçamos em valores espirituais para a eternidade, porque, muitas vezes, o nosso amor é simplesmente querer e tão-somente com o “querer” é possível desfigurar, impensadamente, os mais belos quadros da vida."


    Emmanuel/Francisco Cândido Xavier
    (Do livro "Fonte Viva")

    ResponderExcluir
  4. "A construção da amizade"
    "Almas afins se buscam em meio a multidão,

    e não há nisso nenhuma ilusão.

    Acreditem!

    Isso foi o resultado de uma magnífica construção,

    onde a amizade laborou essa magnetização,

    formando no Universo uma grande ligação,

    com a finalidade de fazer a humanidade

    atingir a tão sonhada confraternização.

    Podemos dizer que isso

    é o amor em ação."

    Elio Mollo

    ResponderExcluir
  5. "O efeito da cólera"
    "Um velho judeu, de alma torturada por pesados remorsos, chegou certo dia, aos pés de Jesus, e confessou-lhe estranhos pecados.
    Valendo-se da autoridade que detinha no passado, havia despojado vários amigos de suas terras e bens, arremessando-os à ruína total e reduzindo-lhes as famílias a doloroso cativeiro. Com maldade
    premeditada, semeara em muitos corações o desespero, a aflição e a morte.
    Achava-se, desse modo, enfermo, aflito e perturbado... Médicos não lhe solucionavam os problemas, cujas raízes se perdiam nos profundos labirintos da consciência dilacerada.
    O Mestre Divino, porém, ali mesmo, na casa de Simão Pedro, onde se encontrava, orou pelo doente e, em seguida, lhe disse:
    - Vai em paz e não peques mais.
    O ancião notou que uma onda de vida nova lhe penetrara o corpo, sentiu-se curado, e saiu, rendendo graças a Deus.
    Parecia plenamente feliz, quando, ao atravessar a extensa fila dos sofredores que esperavam pelo Cristo, um pobre mendigo, sem querer, pisou-lhe num dos calos que trazia nos pés.
    O enfermo restaurado soltou um grito terrível e atacou o mendigo a bengaladas.
    Estabeleceu-se grande tumulto.
    Jesus veio à rua apaziguar os ânimos.
    Contemplando a vitima em sangue, abeirou-se do ofensor e falou:
    - Depois de receberes o perdão, em nome de Deus, para tantas faltas, não pudeste desculpar a ligeira precipitação de um companheiro mais desventurado que tu?
    O velho judeu, agora muito pálido, pôs as mãos sobre o peito e bradou
    para o Cristo:
    - Mestre, socorre-me!... Sinto-me desfalecer de novo... Que será isto?
    Mas, Jesus apenas respondeu, muito triste:
    - Isso, meu irmão, é o ódio e a cólera que outra vez chamaste ao próprio coração.
    E, ainda hoje, isso acontece a muitos que, por falta de paciência e de amor, adquirem amargura, perturbação e enfermidade."

    (De “Pão Nosso”, de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Meimei)

    ResponderExcluir
  6. "Opositores"
    "Inegavelmente, se respeitamos os dotes e compromissos do próximo, por que lhe menosprezar as opiniões?
    De maneira geral, solicitamos dos outros as qualidades perfeitas que ainda não possuímos e, nesse pressuposto, é natural que os adversários nos dirijam advertências e nos apontem caminhos no intuito de emendar-nos ou combater-nos.
    Se os nossos opositores fossem unicamente aqueles que nunca nos desfrutaram a intimidade e que tão-só nos hostilizam, em razão do ponto de vista que abraçam, fácil seria ignorá-los ou esquecê-los. Entretanto, eles são também e, bastas vezes, aqueles mesmos companheiros que comungavam a faixa de ideal, que respiravam conosco debaixo do mesmo teto, que nos asseguravam confiança e ternura ou que nos hasteavam a bandeira de esperança e harmonia.
    Modificados superficialmente pelas circunstâncias da vida, quase sempre não mais nos compartilham objetivos e anseios e, se emitem apontamentos ao redor das atividades em que nos deixaram, muitas vezes, expressam-se contrariamente aos propósitos em que procuramos perseverar nas tarefas, cuja execução nos oferece paz e equilíbrio, encorajamento e alegria.
    Quando isso ocorra, que haja de nós para eles o respeito preciso.
    O que vemos de um ponto determinado do caminho nem sempre guarda os mesmos característicos se trocamos de posição.
    As opiniões dos outros são patrimônios dos outros a reclamar-nos apreço. Se trazem censuras cabíveis, saibamos acolhê-las, aproveitando-lhes o valor nas corrigendas que se nos façam necessárias; se lavram condenações, respondamos com a bênção; se encerram inverdades, compadeçamo-nos daqueles que as pronunciam; e se exigem de nós atitudes e alterações incompatíveis com a nossa consciência, permaneçamos fieis aos deveres que esposamos perante o Senhor, formulando votos para que eles, - os nossos adversários e irmãos de coração, - quando trazidos ao nosso lugar, possam efetivamente realizar todo o bem que não conseguimos fazer."

    (“Alma e Coração",Emmanuel/F. C. Xavier)
    Algumas respostas nesta página foram excluídas ou estão sob revisão.

    ResponderExcluir
  7. "O desapego às coisas terrenas inicia nas pequeninas coisas. Se estabelecemos, em nosso lar, rígidas regras de comportamento para que tudo esteja sempre impecável, como se pessoas ali não vivessem, estamos demonstrando que o mais importante são as coisas, não as pessoas.

    Manter o asseio, a ordem é correto. Escravizar-se a detalhes, temer por estragos significa exagerado apego a coisas que, em última análise, somente existem em função das pessoas.

    Transforme sua casa, pequena, de madeira, uma mansão, num lugar agradável de se retornar, de se viver, de se conviver com a família, os amigos, os amores.

    Coloque sinais de vida em todos os aposentos. Disponha flores nas janelas para que quem passe, possa dizer: Esta é uma casa viva. É um lar."



    Redação do Momento Espírita.

    ResponderExcluir
  8. "És espírito e, portanto, igual em essência a todos os homens.
    A não ser o que pensas e o que sentes intimamente nada te
    diferencia dos demais.
    As tuas características físicas apenas atendem,
    transitoriamente, as tuas necessidades de evolução.
    A rigor, são-te indiferentes as condições raciais e sociais
    em que vives na Terra.
    A tua sexualidade, consoante as tuas inclinações e
    preferências, exterioriza a tua situação
    psicológica momentânea.
    Até que atinjas a luz invariável da Perfeição,
    estarás sempre mudando.
    Nenhum ponto do universo exerce, mais do que outro,
    qualquer espécie de atração sobre ti.
    O amor que hoje individualizas será, amanhã, coletivo.
    És uma criatura em permanente expansão e, assim,
    mesmo sem saberes, não te adaptas a rótulos nem
    te prendes a limites.
    Toda dor que experimentes é ilusória e passará,
    após ter-se cumprido em ti com a finalidade
    de te acordar a consciência."

    (Texto extraído do livro: Teu Lar,
    Irmão José/Carlos A. Baccelli)

    ResponderExcluir
  9. "Meu Deus

    Ajuda-me a dizer a palavra da verdade na cara dos fortes, e a não mentir para obter o aplauso dos débeis.

    Se me dás dinheiro, não tomes a minha felicidade, e se me dás forças, não tires o meu raciocínio.

    Se me dás êxito, não me tires a humildade, se me dás humildade, não tires a minha dignidade.

    Ajuda-me a conhecer a outra face da realidade, e não me deixes acusar os meus adversários, apodando-os de traidores, porque não partilham o meu critério.

    Ensina-me a amar os outros como me amo a mim mesmo, e a julgar-me como o faço com os outros.

    Não me deixes embriagar com o êxito, quando o consigo, nem a desesperar, se fracasso.

    Sobretudo, faz-me sempre recordar que o fracasso é a prova que antecede o êxito.

    Ensina-me que a tolerância é o mais alto grau da força e que o desejo de vingança é a primeira manifestação da debilidade.

    Se me despojas do dinheiro, deixa-me a esperança, e se me despojas do êxito, deixa-me a força de vontade para poder vencer o fracasso.

    Se me despojas do dom da saúde deixa-me a graça da fé.

    Se causo dano a alguém, dá-me a força da desculpa, e se alguém me causa dano, dá-me a força do perdão e da clemência.

    Meu Deus, se me esquecer de Ti, Tu não Te esqueças de mim. "

    Mahatma Gandhi

    ResponderExcluir
  10. O respeito é um valor básico, e deveria reger as relações sociais.

    As noções de civilidade deveriam fazer parte das primeiras lições na infância.

    O respeito é uma matéria que deveria compor o currículo normal das escolas, e ser ensinado pela teoria e também pelo exemplo dos educadores.

    Quando o respeito não é levado em conta, na base da educação, a sociedade periclita.

    A falta de respeito gera conflitos de difícil solução, e é causa de muitas guerras.

    O respeito, levado às últimas conseqüências, seria a chave para a solução de inúmeros problemas sociais.

    Quando a sociedade respeitar os direitos básicos de cada cidadão, não haverá ninguém a quem falte o necessário. E um cidadão que vê seus direitos respeitados não tem razões para ser violento.

    E o primeiro de todos os direitos do ser humano, é o direito de viver.

    E para viver, algumas necessidades básicas devem ser atendidas.

    Entre elas estão a educação e o trabalho. As demais, o homem constrói com dignidade, pois o trabalho tudo vence."

    Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita

    ResponderExcluir
  11. "Depois de ouvir a palestra esclarecedora, cultive-a junto dos companheiros ausentes
    - Ensinamento ouvido, riqueza de aprendizado...


    Depois da notícia edificante, transmita-a sem demora aos irmãos carentes de estímulo
    - Ânimo levantado, rendimento em serviço...


    Depois de ler a publicação doutrinária, passe-a adiante, clareando outras consciências.
    - Palavra escrita, idéia gravada...


    Depois de entender as frases do livro edificante, imprima-a no próprio verbo.
    - Estudo assimilado, conversação enobrecida...


    Depois de reconhecer o próprio erro, conserve a experiência, divulgando-a no instante oportuno.
    - Queda de alguém, apelo a muitos...


    Depois de observar o acontecimento digno de atenção, saliente o aviso que ficou.
    - Fato proveitoso, lição da vida...


    Depois de substituir o objeto usado por outro novo, conduza-o a mãos em maiores necessidades.
    - Traste velho na frente, auxílio na retaguarda...


    Depois de um dia, de uma tarefa, de uma crise, de uma enfermidade, de uma viagem ou de um encontro, algo se modifica em nosso espírito, para melhor, e devemos ofertar aos outros o melhor ao nosso alcance, sem deixar qualquer auxílio para depois."



    ANDRÉ LUIZ
    (Do livro "Estude e Viva", Francisco C. Xavier e Waldo Vieira,
    pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz)

    ResponderExcluir